12 outubro 2015

Minha saga com a amamentação!

Hoje venho compartilhar com vocês minha saga com a amamentação, sei que a maioria das mães de primeira viajem tem muitas dúvidas então vim compartilhar minha experiência e espero ajudar vocês. 

Ainda na maternidade minha filha já precisou de complemento, pois eu não tinha nem leite nem colostro, o pediatra conversou comigo e disse que seria necessário até meu leite chegar. 

Meu leite "desceu" 5 dias após o parto, retirei o complemento e iniciei a amamentação, na primeira consulta com o pediatra (7 dias após o parto) ela tinha perdido peso, o que é normal segundo os médicos, fui orientada a manter a amamentação exclusiva, e foi ai que minha luta começou.

Estava amamentando de duas em duas horas de início, mas minha filha estava super agitada e chorando bastante, então passei a amamentar sempre que ela ficava assim. Ela nunca dormia mais de 20 minutos seguidos e eu estava exausta e desesperada sem saber o que ela tinha, achava que era cólica ou algum outro tipo de incomodo. 
Nunca passou pela minha cabeça que era fome, pois meus seios ficavam inchados e duros nos intervalos das mamadas, na minha cabeça era muito leite que causava isso.

Sempre que colocava ela no peito era um sacrifício, machucava bastante e ela sugava com muita força até que dormia. Com quinze dias seguidos de amamentação eu já não aguentava mais a dor e resolvi procurar ajuda com especialistas em amamentação.

Fui até a UNIAME atrás de orientação, lá descobri que produzia pouquíssimo leite, que a pega estava errada e que minha filha não estava ganhando peso, por isso teria que complementar.
Após seguir todas as dicas  e começar com o complemento ela começou a ganhar peso e a dormir bem, até hoje tem noites que ela dorme até 6h seguidas.

Quando me falaram que iria ter que complementar fiquei muito triste e desapontada por não produzir a quantidade de leite que minha filha precisava, acredita que tinha feito algo errado durante a gravidez. Para piorar tive que fazer uma cirurgia de vesícula de emergência e passar sete dias internada, mesmo usando a bombinha para estimular meu leite que já era pouco diminuiu bastante. Ainda sim até hoje dou peito várias vezes por dia antes de cada mamadeira.

O que aprendi é que não podemos controlar a amamentação e que não é o fim do mundo se seu filho precisa de complemento, o importante é mãe e bebê estarem saudáveis e em harmonia. E que você não é menos mãe que nenhuma outra, e o laço com seu filho será o mesmo, o que vale é o amor que sentimos por eles.

Se vocês assim como eu passam por esse tipo problema aconselho procuram centros de apoio a amamentação e não desistirem, mesmo que seu leite seja pouco ele é muito importante para o seu bebê.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário